Por vencer leucemia, garoto de 6 anos é ovacionado ao chegar na escola

Ao finalizar uma luta de 3 anos contra uma leucemia, um garoto de 6 anos chegou à escola e foi ovacionado. Sua quimioterapia havia acabado no dia 27 de dezembro de 2019.

John Oliver Zippay, de Newbury, Ohio, foi diagnosticado com leucemia linfoide aguda aos 3 anos, uma condição rara que prejudicou muito sua vida escolar.

O momento apoteótico na vida do pequeno John aconteceu na St. Helen Catholic School, onde seus colegas de escola fizeram duas filas paralelas para recebê-lo de forma a parabenizá-lo pela vitória.

Todo o corredor o estava aplaudindo, provavelmente foi um dos momentos mais felizes de sua ainda curta vida, que torcemos para que seja longeva.

Ao final do corredor de aplausos, quem esperava por John Oliver eram seus pais, John e Megan Zippay

“Ele está ótimo! Sim, ele está se sentindo melhor. A maioria dos efeitos colaterais ao longo dos anos envolveram suas pernas por causa das drogas e ele está indo muito bem”, disse John (pai) à Fox 8.

John com seus pais e irmã

Seus pais contaram aos jornais como os anos foram difíceis:

“Ele tinha um marcapasso no peito, impossibilitando qualquer atividade física por 3 anos. Então, foi difícil pra ele, tinha que ficar sentado nos últimos bancos nas aulas de educação física”, disseram os pais.

Shannon Formanski disse: ‘Ele ama aviões, ele tem um tipo de alma velha, ama a Segunda Guerra Mundial e tudo que envolve este mundo, então, ele está muito empolgado por poder viajar um pouco mais e curtir essas coisas”.

Megan dividiu um sentimento semelhante, dizendo: “Você quer que seu filho cresça e se suje brincando lá fora, se divertindo e nós estávamos com ele numa bolha, por isso estamos empolgados. Estamos olhando para o passado e agora vendo o futuro nós temos o nosso pequeno garoto de volta”.

O diretor Patrick Gannon dividiu com a imprensa a empolgação que os alunos estavam sentindo ao ter John Oliver de volta com eles.

“Ele ter que perder algum tempo foi difícil, mas a classe ficou muito feliz em vê-lo novamente”.

Todos em sua escola estavam muito orgulhosos

Os pais de John descobriram sua doença durante o Halloween de 2016, quando perceberam que o garoto estava letárgico. Isso fez ele ter que ser levado ao hospital.

Após vários exames de sangue, seu médico ligou em caráter de urgência no meio da noite para avisar seus pais que eles deveriam levá-lo para a emergência e interná-lo.

Seu pai disse: “Foi um verdadeiro choque, porque a partir daí a palavra câncer começou a surgir”.

Quando seus pais ouviram a palavra “leucemia”, John (pai) afirmou que “tudo parou na mesma hora”.

Toda a sua família, inclusive sua irmã mais velha, Bella, passaram 18 dias no hospital acompanhando as primeiras transfusões de sangue de John, biópsias e outros exames.

John (pai) afirmou que: “Nos consideramos muito sortudos e abençoados. Tivemos muito apoio da família, amigos, membros da comunidade, da escola e dos funcionários do hospital.”.

garoto

No seu último dia de quimioterapia John contou com a presença dos funcionários do hospital, familiares e amigos para vê-lo tocar a campainha de comemoração do fim do tratamento.

Seu pai disse: ‘Foi aí que eu disse para ele, “beleza, carinha, você vai tocar a campainha. Toque a campainha por todas as crianças que não tiveram a chance de tocá-la” e foi como se tudo ficasse em câmera lenta para mim’.

‘Ele tocou a campainha tão forte, ele estava orgulhoso’, concluiu.

Veja o vídeo:

Tagsgaroto