Alvin e os Esquilos é um filme que fez muito sucesso no Brasil, principalmente entre o público infantil. Todo mundo que ouve a voz do Alvin não imagina que é possível reproduzi-la por uma pessoa comum, mas isso cai por terra neste vídeo.

NINHO NINHO NINHO NÃO PEGA MAIS A ZEBRAAAAA!

A Nadya adorou a voz dela

importante

Com a popularização das redes sociais, uma das postagens que se tornou comum é onde o usuário avisa os amigos que foi assaltado, que perdeu o celular e os contatos, mas que está bem. Fico contente quando o final é minimamente feliz e a pessoa fica viva, mas os comentários dizendo que o importante é que não levaram a vida do cidadão me incomodam bastante, não dá pra dizer que ficou tudo bem.

As chagas de um assalto são muito mais profundas do que a perda dos bens materiais (que não é pouco não), após um assalto uma pessoa passa a viver com medo, sempre alerta e incomodada com qualquer movimentação suspeita a sua volta.

Muitos se preocupam com o bem estar do bandido, o tratam como vítima da sociedade e discordo frontalmente desta posição, uma vez que a GRANDE MAIORIA da população NÃO TEM BOAS OPORTUNIDADES na vida e nem por isso descambam para o banditismo. Existe sim a (pequena) parcela de falta de oportunidades, mas a verdade é que a grande maioria é sem vergonha que se aproveita da população que sente pena da sua condição. A curto prazo, ser aviãozinho paga mais coisas do que sentar numa cadeira de escola e estudar.

Mas voltando ao assunto do assalto, será que a inconveniente comemoração de outrem pela preservação da vida da vítima é legítima? Façamos aqui algumas contas simples para provar que o bandido leva sim um pouco da vida da pessoa. O salário mínimo atual no Brasil é de R$ 678,00, considerando que esse brasileiro que ganha um salário mínimo compre um celular de R$ 1149,36 como este Galaxy S4 (aliás, o primeiro assalto no Brasil é o preço dos produtos) e parcele-o em 12 vezes de R$ 112,68 como descrito no link. R$ 112,68 é 16,61 % do salário mínimo, ou seja, 16,61 % das horas de trabalho de 12 meses de um trabalhador jogadas no lixo pra um vagabundo saciar seus “desejos de vítima”.

Sejamos menos conformados com quem não tem pena de nós, tanto os bandidos das ruas quanto os bandidos de paletó QUEREM e PRECISAM do seu conformismo, precisam que você comemore derrotas como se fossem vitórias, precisam que você fique feliz por terem estuprado a sua mulher, mas não terem à matado, que você fique feliz por terem roubado o seu CARÍSSIMO carro popular, mas não terem levado a sua vida. Você não tem que se conformar com os frangalhos em que é deixado quando é assaltado, tem que no mínimo fazer o BO, e se tiver a chance, mate o bandido durante o assalto, se ele achar que você oferece risco a ele, pode ter certeza que ele não hesitará em te matar. Aliás, o estado brasileiro beneficia o bandido, tirando a arma do cidadão e não a dos vagabundos, tanto que os estados com mais armas legalizadas são os com menor índice de violência, coincidência ou não, isso é assunto pra um outro texto. E se você foi assaltado recentemente, sinto muito pelo seu tempo de vida perdido, ele te matou um pouco e espero de coração que o ladrão morra o mais rápido possível. Isso sim é justiça.