“Bandida mais sexy do mundo” pode cumprir prisão perpétua

bandida mais gata

Stéphanie Beaudoin, de 21 anos, pediu perdão e se declarou culpada de cerca de 30 crimes em um julgamento em Quebec, no Canadá. “Arrependo-me dos meus atos”, disse a “bandida mais sexy do mundo”, como se autointitula. As informações são do The Mirror.

Bonita até empunhando uma metralhadora

Bonita até empunhando uma metralhadora

Ela afirmou que compreende a gravidade dos seus atos e entende que isso pode mantê-la presa em pena perpétua. “Agi por impulso e em um mau momento. Estou sofrendo as consequências agora”, disse ao jornal La Nouvelle Union.

bandida gata - O Macho Alpha - 05

Seu advogado,Denis Lavigne, afirmou que Stéphanie sofria de depressão quando cometeu os crimes, que incluem invasão, receptação de mercadoria roubada e porte ilegal de armas. A pena de Beaudoin ainda não foi definida, mas pode ser prisão perpétua.

bandida gata - O Macho Alpha - 03 bandida gata - O Macho Alpha - 04

Os canadenses têm uma visão diferente das armas pois acontecem poucos homicídios em relação a países com as mesmas dimensões continentais, em 2012, foram pouco mais de 500 homicídios, 1% dos mais de 50.000 homicídios registrados no Brasil, por exemplo. Em sua maioria, os canadenses que possuem armas, às utilizam para a prática da caça. O país tem temporadas em que elas são permitidas e algumas leis que restringem a forma que o animal deve ser abatido, a legislação incentiva que seja da forma mais humana possível.

Uma lei de 1995 define o seguinte para armas de fogo no Canadá:

Posse – É necessário ter mais de 18 anos e passar por uma comissão que verificará se o interessado nunca foi internado por problemas mentais ou se ele tem antecedentes criminais.

Porte – É necessário ter uma autorização específica para ser usada em determinado dia e local.

A posse e o porte podem ser permitidos para menores de idade se a pessoa provar que precisa da arma para sobreviver. Caça ou treino de competições de tiro são exemplos de necessidades armamentistas. Em 1998, o governo aprovou um complemento da lei que foi dirigido à população indígena, dando direito às crianças de portarem armas para a caça.